“Depois dos incêndios, passado o choque inicial, segue-se o período mais crítico do luto.  Esta é a fase que exige mais atenção da nossa parte. Nesta altura o estado emocional é muito mais débil. As pessoas já estavam fragilizadas, mas tinham alguma capacidade de se manterem estáveis e agora não.”

“Esta é a fase que exige mais atenção. O que notamos é que há uma degradação do estado emocional das pessoas. Há uma série de etapas do luto e da perda que as pessoas têm de passar.”

Mariana Figueiredo

Assistente Social, Cáritas Diocesana de Coimbra

Cáritas no terreno

Ao longo da sexta semana a Cáritas de Coimbra visitou praticamente a totalidade dos casos que lhe foram confiados de primeiras habitações afetadas pelos incêndios de junho.

Após análise exaustiva de cada processo, e tendo como critério as situações de primeira habitação e casos sociais, a Cáritas de Coimbra assumiu o compromisso de reconstrução de 40 habitações (21 reconstrução total e 19 reconstrução parcial), sendo 20 em Castanheira de Pera, 15 em Pedrogão Grande, 3 na Sertã, 1 em Figueiró dos Vinhos e 1 em Góis.

  [ler +]

 Cáritas Diocesana de Coimbra no terreno

famílias apoiadas

Casas em reconstrução

bens doados